Diário do Sul – Tubarão (18/5/2015)

Publicado em 18 de maio de 2015

TJ confirma legalidade de penhora

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ/SC) determinou a penhora de 10% dos créditos a receber de uma empresa de cerâmica de Tubarão, que é devedora de ICMS.
Atendendo à Procuradoria-Geral do Estado (PGE), a 2ª Câmara de Direito Público decidiu que grandes lojas que iriam pagar diretamente à empresa pelo fornecimento de material deverão repassar 10% do valor ao Fisco estadual, até a quitação total da dívida, que soma R$ 26 milhões em execuções fiscais ajuizadas.
Ao ser condenada em primeira instância pelo Juízo de Tubarão, em 2013, a empresa devedora ofereceu, para saldar o débito, a penhora de material relacionado à sua atividade fim, a cerâmica. A proposta não foi aceita pelo Estado, em razão da dificuldade em vender as toneladas de porcelanato.
Na sequência, a Justiça acolheu pedido apresentado pelo procurador do Estado Rafael do Nascimento e determinou a penhora de 20% dos créditos recebíveis.
A empresa, então, recorreu ao TJ na tentativa de reverter a decisão. Aceitando os argumentos da procuradora Carla Schmitz de Schmitz, atual responsável pelo processo, a 2ª Câmara de Direito Público seguiu o parecer do relator desembargador Cid José Goulart Júnior e, por unanimidade, reduziu a penhora do crédito a receber para 10%, desde que o valor global não ultrapasse 5% do faturamento da executada.