Diário Catarinense (1º/6/2016)

Publicado em 1 de junho de 2016

PM inicia curso para 711 novos soldados, porém déficit continua
Foram quatro adiamentos para que 861 novos concursados passem, a partir desta semana, a fazer parte do quadro de servidores da segurança pública de Santa Catarina. Prevista inicialmente para setembro de 2015, a nomeação de policiais militares e auxiliares criminalísticos será publicada no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira com nove meses de atraso. Apesar de representativo, o número de novos profissionais somente ameniza um problema histórico nas forças de segurança do Estado: o efetivo.
Após quatro adiamentos, governo convoca policiais militares aprovados
Confira a lista dos convocados para o curso de formação da PM
Na Polícia Militar, que até a terça-feira tinha 10.193 homens e mulheres a serviço, haverá um incremento de 711 pessoas. No Instituto Geral de Perícias, serão 150 a mais. Somente na PM, o mesmo número do quadro a ser formado em fevereiro do ano que vem é o que deve se aposentar até o final do ano. No entanto, diante da crise financeira atual, o governo do Estado não sinaliza novas contratações. Até mesma as atuais ficaram em cheque diante da queda na arrecadação.
– É um número representativo quando se olha ele isoladamente, mas quando olhamos para o tempo em que eles deveriam ter entrado passa a ser insignificante. Ano passado foram 681 saídas– destaca o presidente da Associação de Praças de Santa Catarina, Edson Fortuna.
Os excedentes do concurso da PM cobram a nomeação, mesmo que dentro de um ano, o que não foi confirmado pelo governo. O secretário de Segurança César Grubba, consultou a Procuradoria Geral do Estado (PGE) sobre a possibilidade de prorrogação do concurso, previsto para ter um ano de validade. A PGE ainda não deu resposta. No final de abril, Grubba admitiu que o efetivo é o maior problema atualmente na segurança pública catarinense.
– Estamos correndo atrás. Não precisamos ser chamados agora, mas queremos que nos aproveitem, é mais viável economicamente do que fazer um novo concurso – pontuou Jéssica Fernanda Araújo, integrante da comissão dos excedentes do concurso da PM de 2015.
Nos próximos dias, uma audiência pública na Assembleia Legislativa debaterá a questão dos excedentes. A data ainda será marcada. A Secretaria de Segurança Pública foi procurada pela reportagem para falar sobre as nomeações e as futuras contratações, mas não retornou ao pedido de entrevista.
em Canasvieiras, em Florianópolis. A duração do curso é de quatro meses e meio. Serão 420 agentes e 66 delegados.